Fábio Sousa quer diminuir número de deputados federais e senadores

O deputado Fábio Sousa (PSDB/GO) deverá apresentar esta semana uma Proposta de Emenda à Constituição que reduz o número de parlamentares no Congresso Nacional. O texto prevê redução dos atuais 513 para 355 deputados federais e de 81 para 54 senadores.
Segundo Fábio Sousa, é notório o descontentamento da população no que se refere ao número de congressistas. “É perfeitamente viável a redução desse quantitativo sem que a representatividade seja prejudicada”, explicou o autor da proposta. Nos Estados Unidos, por exemplo, os 50 estados (quase o dobro do Brasil) são representados por 435 deputados federais e 100 senadores.
Em virtude da atual situação econômica brasileira, a aprovação desta Proposta seria mais uma forma de conter os gastos públicos. “A estimativa é que esta PEC contribua para uma economia de quase de R$ 1,9 bilhão de reais por ano, sendo R$ 1 bi na Câmara dos Deputados e mais R$ 850 milhões no Senado”, argumentou Fábio Sousa.

Fábio Sousa faz homenagem a Goiânia

O deputado Fábio Sousa prestou homenagem à Goiânia, ontem, 24, na Câmara Federal. No dia em que a cidade completou 83 anos, o parlamentar discursou parabenizando a capital.
“Quero hoje fazer uma homenagem à cidade onde eu nasci, à cidade onde eu cresci, à cidade onde eu me formei, onde eu me casei e tive meus dois filhos”, disse Fábio Sousa. “A nossa Princesa do Cerrado está fazendo 83 anos, vivenciando os sonhos de Pedro Ludovico Teixeira, na época Governador do Estado”, prosseguiu. Fábio Sousa relacionou a construção da Goiânia à de Brasília, em que, assim como Juscelino Kubitschek teve a visão para a capital Federal, Pedro Ludovico também teve para o Cerrado: fundar uma cidade planejada.
Fábio Sousa lembrou que Goiânia foi projetada para 50 mil pessoas, e hoje conta com mais de 1,5 milhão. “Se juntarmos todas as cidades circunvizinhas a ela, veremos que em torno de 2 a 3 milhões de pessoas vivem em função da cidade de Goiânia”, ressaltou.
O deputado lembrou ainda os problemas enfrentados pela capital de Goiás, como a violência crescente; problemas habitacionais; trânsito extremamente caótico; problemas na saúde pública e na educação. “Esperamos que a escolha do goianiense no próximo domingo seja interessante para resolver esses problemas ou pelo menos diminuí-los”, disse o parlamentar, se referindo ao processo do segundo turno das eleições.
Antes de concluir, Fábio Sousa fez questão de elogiar os goianienses: é um povo trabalhador, extremamente acolhedor, que recebe as pessoas sempre de braços abertos para comer um bom pão de queijo, uma boa pamonha assada, para tomar um cafezinho. Enfim, os goianienses recebem com muita alegria os seus visitantes, disse. “O melhor de Goiânia são os goianienses, sem dúvida nenhuma. Parabéns, Goiânia!”, encerrou.

Fábio Sousa critica apoio do Itamaraty à decisão envolvendo Monte do Templo

O deputado Fábio Sousa (PSDB) criticou o apoio do Itamaraty à decisão da UNESCO de que o Monte do Templo (região de Jerusalém, onde está localizado o Muro das Lamentações, por exemplo) é sagrado apenas para muçulmanos. Em discurso ontem, 17, no Plenário da Câmara Federal, o parlamentar afirmou que essa decisão é contrária à crença de quase 90% da população brasileira.
Recentemente a UNESCO aprovou em uma votação a indicação pelos palestinos, apoiada pelo Brasil, de que a região onde está localizado o Muro das Lamentações e o templo mais importante dos muçulmanos naquela cidade é, de acordo com a resolução, sagrada apenas para os muçulmanos. “Não estou aqui criticando a religião muçulmana, longe de mim fazer isso. Minha crítica é ao Itamaraty, por tomar uma decisão que não reconhece a posição da maioria dos brasileiros, cerca de 90%, que tem a cidade de Jerusalém como sagrada”, explicou Fábio Sousa.
O deputado afirmou ainda que Jerusalém é uma cidade sagrada para judeus e cristãos de todos os matizes religiosos, inclusive católicos e evangélicos. “O Governo brasileiro desconsiderou, por parte do Itamaraty, seu órgão representativo junto à UNESCO, a posição dos brasileiros”, ressaltou Fábio Sousa, concluindo a crítica.

Fábio Sousa cobra solução para crise financeira

Fábio Sousa continua cobrando iniciativas para combater a atual crise econômica no Brasil. Em discurso hoje, 19, no Plenário da Câmara Federal, o deputado defendeu que é preciso que todos se empenhem na aprovação de medidas que visem solucionar a crise financeira, gerando emprego e renda.

Em sua fala, o parlamentar caracterizou como “terrível” o período de crise econômica vivido pelo país. “Eu diria que a crise política está se resolvendo. Já vivemos momentos muito mais difíceis, todo mundo aqui se lembra bem disso, e o País também. A crise moral também está começando a se resolver. Mas a crise econômica é algo que exige de todos nós uma extrema dedicação e uma extrema devoção”, comentou Fábio Sousa.

Ele explicou que além de gerar desemprego, a crise financeira está trazendo um retrocesso econômico há muito tempo não visto no Brasil. “E, se nós não começarmos a tomar medidas extremas aqui no Congresso Nacional, na Câmara dos Deputados e depois no Senado, o Brasil vai viver dias piores do que está vivendo hoje”, completou. Fábio Sousa ironizou ainda que, em pleno período eleitoral, a placa que mais se vê nas ruas não é do candidato A ou B, mas “a faixa que mais se vê nas lojas, nos estabelecimentos é a que diz aluga-se, vende-se”.

Para mudar essa realidade, o deputado cobra mais ação da Câmara. “É preciso, por exemplo, votar a PEC 241, que trata do Novo Regime Fiscal”, afirmou. Ao encerrar, Fábio Sousa fez um apelo aos colegas deputados para que participem do processo Legislativo. “Tenham a sua ideologia política expressada, de qualquer forma, mas participem aqui do processo, que venham tentar resolver o problema”, concluiu.

Artigo de Fábio Sousa é publicado em jornal de MG

Artigo do deputado Fábio Sousa foi publicado hoje, 16, no jornal O Tempo, de Minas Gerais. Leia abaixo o texto completo:

É para o bem

É fato que a tecnologia está cada vez mais presente no cotidiano e que a internet chegou para ficar. Porém, uma questão a ser defendida é como utilizar esses recursos de forma positiva. O Projeto de Lei nº 5596/13, de autoria do deputado Major Fábio, é um exemplo disso. Muitos têm dito que a matéria proíbe o uso de aplicativos de direção, como o Waze. Falar isso é equivocado e desonesto. O que o projeto pretende coibir é que os aplicativos em uso e os que ainda serão criados informem onde há operações policiais em curso. Vale ressaltar que fui o relator do projeto na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara Federal.

É necessário deixar claro que a matéria não pretende de forma alguma proibir os aplicativos. Se fosse isso, estaria ferindo um dos princípios que eu mais tenho defendido: a liberdade de expressão, assegurada pela nossa Constituição. O que se objetiva é impedir que os aplicativos comuniquem ao usuário onde está a fiscalização, que eles deixem de alertar sobre a localização de blitze e radares. Isso sim deve ser barrado.

Imagine só uma situação, que infelizmente é comum. A pessoa é assaltada e os bandidos levam o carro dela. Espero que isso nunca aconteça com você, mas vamos imaginar. O cidadão registra a ocorrência na delegacia na esperança de ter seu veículo recuperado. O meliante, por sua vez, usa o carro para cometer outros delitos. Na fuga de um deles, abre o aplicativo no celular e vê que na rota que ele pretendia seguir está tendo uma blitz. Pronto. Chegou ao fim uma chance de o cidadão ter seu carro de volta. Já pensou: informar um bandido sobre onde a polícia está?

E quantos utilizam desse recurso nos aplicativos para fugir da Lei Seca? Depois de muito debate a legislação finalmente está em vigor, poupando milhares de vítimas da irresponsabilidade de quem bebe e em seguida dirige, mas há pessoas que ainda insistem em querer dar o “jeitinho brasileiro”. E isso não seria corrupção? Mas não vamos entrar nesse mérito. O debate aqui é outro.

Se a pessoa está interessada em fugir da blitz, certamente há algo errado. E atitudes erradas precisam ser coibidas. A polícia e os órgãos competentes estão aí para manter a sociedade em ordem, em segurança.

E Poder Legislativo precisa se fazer valer e participar dessa busca da ordem e do bem-estar. Por isso a necessidade de um Projeto de Lei que possa regular o uso dos aplicativos. O objetivo é unicamente impedir que a lei seja burlada.

Enfim, nós brasileiros só temos a ganhar com a aprovação desse projeto. Deixar de informar sobre a ocorrência de fiscalização traz mais segurança para você, para todos nós.

Fábio Sousa
Deputado Federal pelo PSDB/GO

Fábio Sousa é destaque no Jornal da Band

Uma reportagem exibida hoje, 5, no Jornal da Band, falou a respeito da negociação da votação da reforma da previdência e da necessidade que o governo Temer tem de conseguir apoio no Congresso para a apreciação da matéria. Fábio Sousa foi destaque ao afirmar que seu partido, PSDB, tem muito a contribuir com o governo ao apoiá-lo.

Veja o vídeo na íntegra no link: http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/videos/2016/09/05/15982166-inss-governo-pode-atrasar-reforma.html

Fábio Sousa fala sobre possível cassação de Eduardo Cunha

O deputado Fábio Sousa falou em entrevista hoje, 3, ao Jornal Opção. Na matéria, o deputado destaca que, ao contrário do que muitos dizem, acredita que haverá quórum suficiente para votar o pedido de cassação do ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

Veja o texto completo:

Fábio Sousa: “Será uma vergonha não ter quórum para cassar Cunha”

O deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO) disse ao Jornal Opção que será uma “vergonha” para o Parlamento se não houver quórum para a sessão do dia 12 de setembro — quando está marcado o julgamento do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Após o também goiano Jovair Arantes (PTB) afirmar que não acredita na presença da quantidade mínima de deputados (257 dos 513) para avaliar as denúncias contra o peemedebista, Fábio Sousa assegurou que estará lá.

“Bom, os outros eu não sei, mas, como tenho feito sempre, estarei presente na sessão e mais: votarei sim pela cassação do mandato de Eduardo Cunha”, garantiu.

Questionado se o PSDB fará o mesmo, o jovem parlamentar revelou que a orientação da bancada é para que todos os deputados da legenda votem pela perda do mandato e a inelegibilidade do ex-presidente — acusado de ter mentido durante a CPI da Petrobras, manter contas no exterior e corrupção.

Inclusive, Fábio Sousa fez questão de destacar que não existe a menor possibilidade da defesa de Cunha conseguir o “fatiamento” de seu julgamento — aos moldes do que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) logrou no Senado. “Apesar de considerar a decisão uma aberração jurídica, tenho convicção de que aquele caso foi isolado e não poderá ser aplicado a Cunha”, completou.

A tropa de choque do ex-presidente (que mingua a cada dia) já começou a alardear que irá pedir duas votações: uma para cassar o mandato e outra, para inabilitação política.

Animado

O deputado federal Fábio Sousa contou ao Jornal Opção que tem uma série de projetos importantíssimos sendo desenvolvidos — que deverão ser apresentados em breve. Um deles diz respeito à quantidade de parlamentares no Congresso. “Vou, matematicamente, provar quantos deputados são necessários de verdade aqui”, revelou sem dar mais detalhes.

Fábio Sousa é um dos membros da comissão especial que avalia as 10 Medidas contra a Corrupção — projeto apresentado pelo Ministério Público Federal, que angariou mais de 2 milhões de assinaturas populares. Apesar de alguns retoques serem necessários, ele garante: “Sou 100% a favor da proposta. Precisamos continuar o debate, mas defendo a aprovação quase que integral”.

Fonte: http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/fabio-sousa-sera-uma-vergonha-nao-ter-quorum-para-cassar-cunha-74303/

A pedido de Fábio Sousa, procurador da Lava Jato participa de audiência contra corrupção

Em mais uma ação em apoio ao projeto de lei que trata de medidas contra a corrupção, Fábio Sousa (PSDB) requereu a presença do procurador da República Deltan Dallagnol para participar de audiência pública nesta terça-feira, 9, na Comissão Especial que avalia a matéria na Câmara Federal. Deltan é o coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal que atua na Operação Lava Jato.

Na ocasião, Fábio Sousa debateu com o convidado questões relacionadas à criminalização do caixa dois e do enriquecimento ilícito. “Não acredito que alguém possa ficar milionário de forma lícita apenas com política, por melhor que seja o salário”, ressaltou. O deputado falou ainda sobre a necessidade de discutir o foro privilegiado.

Fábio Sousa recebe Sérgio Moro

Fábio Sousa segue firme na luta contra a corrupção. Membro titular da Comissão Especial que avalia, na Câmara Federal, um projeto de lei com medidas de combate à corrupção, o deputado solicitou que o colegiado recebesse o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, para debater o tema. O requerimento foi atendido e Moro esteve hoje, 4, na Casa, onde falou sobre a necessidade de aprovar a matéria.

Na audiência, Fábio Sousa destacou vários assuntos que possam contribuir para o combate à corrupção, dentre eles a possível legalização do lobby para tentar distinguir o legal do criminoso. O deputado falou ainda sobre a necessidade de combater a corrupção não apenas no âmbito das grandes instituições, mas também lutar contra cultura inserida nos brasileiros que induz o ganho de vantagem e leva a pequenas ilicitudes.